01/09/2021


Fazenda apresenta números de Santa Catarina em encontro promovido pelo IBEF-RS



Na noite desta terça-feira, 31, o secretário de Estado da Fazenda (SEF/SC), Paulo Eli, foi um dos palestrantes do evento virtual Atrativos Tributários, promovido pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) do Rio Grande do Sul. O encontro contou também com apresentações do secretário da Fazenda do Espírito Santo, Marcelo Martins Altoé; e do subsecretário da Receita Estadual do Rio Grande do Sul, Ricardo Neves Pereira.

Na ocasião, Eli falou das potencialidades de Santa Catarina, apresentando números e resultados da gestão. “Em 2017, o Estado estava com grandes dificuldades financeiras, o comprometimento com a folha de pagamentos estava em 49,7% da receita líquida de impostos, portanto acima do limite legal, além de muitas contas atrasadas com fornecedores e obras paradas. Foi necessário mudar todo o perfil de atuação do Estado para equilibrar as contas”, pontuou.

O secretário da SEF/SC destacou que o Poder Executivo catarinense vem implementando um plano estratégico, tático e operacional, que inclui o saneamento financeiro e que já está dando bons resultados. “Esse saneamento fez com que conquistássemos a nota B na Capag. Vamos trabalhar para atingir a nota A e, assim, a União poderá dar garantias em financiamentos, tornando-os mais baratos. Outra conquista está na geração de empregos, Santa Catarina está com saldo positivo de 139.410 postos de trabalho somente em 2021, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais”, exemplificou.

A SEF/SC vem trabalhando para melhorar índices, como liquidez de caixa, poupança corrente, endividamento, receita corrente líquida e demais contas do setor público. “Com isso, podemos acelerar obras com recursos próprios”, enfatizou Eli. Ele apontou, ainda, as potencialidades do Estado que incluem sete portos alfandegados, sendo cinco marítimos e dois aéreos. “Estamos em expansão, com a aduana em Dionísio Cerqueira, onde pretendemos construir um grande entreposto comercial e industrial, gerando 20 mil empregos nos próximos dez anos”, disse, salientando que o projeto é investir cerca de R$ 3 bilhões ao ano ao longo de 15 anos. Por fim, o secretário catarinense falou sobre a reforma estadual da previdência e revelou que sua expectativa é encerrar 2022 com comprometimento da folha de pessoal em 40% da Receita Líquida de Impostos (RLI).