19/04/2021


Governadora e setor empresarial se unem no Plano Nacional de Logística 2035



A governadora Daniela Reinehr fez coro ao setor produtivo por avanços para Santa Catarina no Plano Nacional de Logística 2035 (PNL 2035) durante reunião do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) na tarde desta segunda-feira, 19. Segundo a chefe do Executivo, até o momento o Estado não foi plenamente atendido em seus anseios no PNL, que serve como base de planejamento para a infraestrutura de todas as unidades da federação.

“A Federação das Indústrias (Fiesc) tem um papel muito importante nesse estudo logístico e de infraestrutura para o nosso Estado e pode contribuir muito. O que eu tenho buscado é o diálogo com todos os setores da sociedade. Queremos fazer uma convergência de esforços pelo bem de Santa Catarina, e a logística é um dos principais temas para o desenvolvimento”, afirmou a governadora.

Segundo o coordenador do Cofem e presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, uma análise preliminar feita pelo setor industrial constatou a falta de diversos dados relevantes dentro do PLN 2035 para contemplar Santa Catarina com a infraestrutura necessária nos próximos anos.

“Vamos fazer a nossa manifestação como Federação das Indústrias e vamos compartilhar com o Governo do Estado, por meio do secretário Leodegar Tiscoski (Infraestrutura) para avaliar também as demandas do Executivo. Porém, na primeira avaliação que fizemos, não há uma contemplação adequada do nosso Estado”, diz Aguiar.

Na próxima sexta-feira, 23, o secretário TIscoski participará de uma reunião na Fiesc para tratar especificamente da PLN 2035.

Reunião também debateu temas econômicos

A reunião da governadora com o Cofem também contou com a participação do secretário de Estado da Fazenda, Rogério Macanhão. Durante o encontro, ele se comprometeu a não aumentar impostos e fazer uma gestão fiscal baseada no diálogo e no equilíbrio.

“Foi um encontro muito proveitoso. A governadora falou um pouco das linhas políticas que ela pretende adotar. Junto com a linha política, vem a atuação da Fazenda, com um perfil voltado para o desenvolvimento do Estado, com o equilíbrio entre as contas públicas e a produção econômica. Procuraremos atender as demandas da sociedade”, afirmou o secretário.