05/07/2017


Workshop reúne, em Florianópolis, auditores fiscais de 14 estados do País


"Fisco e contribuintes não estão em lados opostos, são elos da mesma corrente", destacou o secretário Almir Gorges 


O secretário da Fazenda, Almir Gorges, participou nesta quarta-feira, 5, da abertura do workshop "Novas Práticas no Combate à Sonegação Fiscal", em Florianópolis. Ele ressaltou que "fisco e contribuintes não estão em lados opostos, são elos da mesma corrente. Quando as duas partes descobrirem isso, nós seremos mais fortes e justos". O evento realizado na sede do Sindifisco, em Florianópolis, reúne cerca de 100 auditores fiscais de 14 Estados até sexta-feira para a troca de experiências sobre a utilização de novas tecnologias no combate à sonegação de impostos.

Para o secretário adjunto, Renato Lacerda, a tecnologia é útil na otimização dos trabalhos. "Para alcançar cada vez mais contribuintes e diminuir a distância, é necessário investir em tecnologia. Em SC já trabalhamos há bastante tempo com serviços digitais, o nosso Sistema de Administração Tributária, o SAT, por exemplo, é referência nacional", afirmou. O diretor de Administração Tributária, Ari Pritsch que também acompanhou a abertura do encontro, reforçou: "A sociedade exige cada vez mais recursos e respostas ágeis da administração tributária. Em momento de crise buscamos soluções que exigem ousadia, e ousar é pensar em novas práticas e novos modelos".

Concorrência Leal - a operação que monitora desde 2012 as empresas do Simples Nacional, foi um dos destaques do primeiro dia do evento. Coordenador da ação, o auditor Luiz Carlos Feitoza destacou a parceria da Fazenda com as entidades contábeis e representativas de contribuintes. “A sociedade catarinense abraçou a Concorrência Leal. Não há surpresas, trabalhamos em conjunto com os contribuintes. Para a próxima etapa, as entidades promoveram uma rodada de cursos aos contadores em todo o Estado”, destacou. A 3ª edição, que será lançada em julho, apurou pendências em 26 mil contribuintes a partir do cruzamento de uma série de dados de diferentes fontes. Desde o início da Concorrência Leal, o crescimento da arrecadação do Estado de SC com os contribuintes do regime foi de 54%. A operação processa em sua malha mais de 190 mil empresas. 

Radar - no segundo dia do evento, a Fazenda apresentou o piloto do sistema Radar – Controles Inteligentes. A ferramenta está sendo desenvolvida pelo Grupo de Planejamento e Monitoramento Fiscal (GPLAM/SEF) com o objetivo de monitorar eletronicamente todas as empresas do regime normal de tributação. "Não há mais espaço para a fiscalização sem controle das informações por meios digitais", disse Júlio César Narciso, um dos idealizadores do Radar.

O ponto de partida são as informações do Sistema de Administração Tributária, alimentado pelos próprios contribuintes catarinenses. O sistema também vai cruzar dados de outras bases como Receita Federal, Tribunal de Contas, Banco Central, Nota Fiscal Eletrônica e Sistema Público de Escrituração Digital. “Com inteligência, o Radar vai tornar a fiscalização mais efetiva, permitindo uma atuação mais cirúrgica do fisco, ao mesmo tempo em que auxiliará as empresas no acerto de sua complexa tributação,” acredita Rogério de Mello Macedo da Silva, gerente de fiscalização. 

 Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda