18/05/2017


Santa Catarina é destaque na retomada do crescimento da economia nacional


Reação da atividade econômica no Estado já teve repercussão positiva na arrecadação tributária


Indicadores econômicos de 2017 mostram que Santa Catarina está retomando o crescimento econômico de forma mais rápida em comparação aos demais estados. A economia catarinense está entre as primeiras no ranking de desempenho relacionado à taxa de emprego formal, produção industrial e volume de vendas do comércio varejista. Indicadores da balança comercial, do consumo de energia elétrica e da confiança dos empresários também são melhores em Santa Catarina do que a média nacional. Já há reflexo na arrecadação tributária.

“Sempre falamos que seríamos o primeiro Estado a sair da crise. Os números mostram que isso já está acontecendo”, afirma o secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni. A retomada já reflete na arrecadação tributária, que cresceu 7% no primeiro trimestre. Os dados constam do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais, editado pela Diretoria de Planejamento Orçamentário da Fazenda com base em fontes como IBGE, CNI, FIESC, CAGED e MDIC, além de sistemas do próprio Governo do Estado (veja o documento completo)

No setor industrial, Santa Catarina tem o segundo melhor resultado da produção dos últimos meses, perdendo apenas para o Pará, estado com indústria concentrada na mineração. No primeiro trimestre, a produção industrial cresceu 5,2%, contra evolução de apenas 0,6% da indústria nacional. Nesse mesmo período, o Estado teve o maior crescimento do volume de vendas do comércio varejista, 9,4%, enquanto no Brasil houve redução de 2,4%. Na agropecuária, dos 13 principais produtos agrícolas de Santa Catarina, nove deverão ter crescimento de produção em relação à última safra.

O consumo de energia elétrica também confirma a recuperação da economia catarinense. O crescimento foi de 7,9% no primeiro trimestre. Destaca-se a evolução contínua do consumo do setor industrial. As vendas de óleo diesel também sugerem melhora na economia. “A recuperação econômica já teve reflexo no mercado de trabalho. Em Santa Catarina, foram criados 22.361 novos postos no trimestre, com destaque para a contratação líquida na indústria de transformação e no setor de serviços”, destaca o economista Paulo Zoldan, consultor da Fazenda.  

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda